No último domingo, dia 07 de janeiro, ocorreu a septuagésima quinta edição do Golden Globes, prêmio que reverencia atores, diretores e roteiristas de cinema e TV. Mas essa edição trouxe um gostinho diferente para as mulheres, pois elas enalteceram um movimento contra assédios dos mais variados tipos não só no local de trabalho, mas na vida, o movimento Time’s Up.


Não é de hoje que há escândalos sobre atrizes, roteiristas e diretoras ganharem menos que homens em Hollywood, não terem as mesmas chances que homens têm e serem hostilizadas ou estereotipadas como frágeis apenas por serem mulheres. Até os próprios prêmios, na maioria das vezes, só tem homens concorrendo em certas categorias.


Mas, com tantas produções sobre a força feminina, dirigidas e escritas por mulheres, como por exemplo o seriado Big Little Lies (produzido por Reese Witherspoon e Nicole Kidman e baseado no livro da Liane Moriarty), essas situações estão ficando cada vez mais difíceis de tolerar, por isso o movimento Time’s Up foi criado e elas decidiram usar preto na premiação como forma de protesto. E a adesão foi máxima, tanto de mulheres quanto de homens que entendem a necessidade de um movimento como esse usaram preto.

 

 

Viola Davis no Golden Globes

Viola Davis, famosa por seus discursos empodeirados, aderiu ao movimento.

 


E não é só por Hollywood que elas protestam, todas as atrizes que discursaram fizeram questão de dizer que não estão lá só por elas ou pela situação delas, mas sim por todas as mulheres que sofrem assédio de chefe, de colegas de trabalho, são diminuídas apenas por serem mulheres, sofrem abuso e violência doméstica, enfim, o movimento tornou-se mundial e muito importante.


Um dos nossos sites preferidos, o Steal de Look, fez um post com os melhores looks da cerimônia, você pode ficar por dentro dos estilistas escolhidos aqui. As fotos desse post também foram tiradas de lá. Mas acreditamos que o mais importante não foram os looks em si, mas sim o que eles significaram.

 

 

Emma Watson e a ativista Marai Laras

Emma Watson, como outras atrizes, levou a ativista Marai Larasi como acompanhante ao prêmio.

 


Nossa empresa, criada por mulheres, não podia deixar de apoiar o movimento. Nós não só enaltecemos a beleza das mulheres, mas também acreditamos que elas podem chegar onde quiserem! São empreendedoras, fortes, corajosas, às vezes têm que passar por situações que com certeza homens não passariam, então é com muito orgulho que dizemos, #timesup, já chega. Merecemos respeito e igualdade!